Archive for 01/05/21 - 01/06/21

Welcome to the Idol Hell : VTubers 101

Sejam bem-vindes ao meu TED Talk! Sou Pilot e hoje vamos falar de um assunto que tem movimentado a otacada ao redor do mundo: VTubers!

 


O que são? Do que se alimentam? Por que vocês deveriam encontrar suas oshi agora mesmo e se tornarem simps oficialmente? Vamos falar sobre essas e tantas outras questões relevantes sobre garotas 2D (e 3D!) que ganharam os corações ao redor do mundo e tem influenciado cada vez mais a cultura pop.

 

Mas antes, um pouco de história para situar vocês que cairam de paraquedas neste mundinho sem entender o que está acontecendo e de onde veio esse fenômeno que está poluindo suas timelines de memes desde o segundo semestre do ano passado.

 

*ahem* Antes de começar, preciso deixar claro que não sou uma especialista, sou apenas uma pessoa que seguiu o coelho e entrou na toca que levou para o País das Maravilhas e decidiu lhes enviar algumas explicações sobre esse mundo colorido e insano.

 

O começo da história

 

Tudo começou com Kizuna Ai.

 


 

É comum que, quem chega ao seu primeiro contato com VTubers acabe pensando que o fenômeno de vtubers começou com Hatsune Miku, por causa dos shows, músicas e etc. Mas, apesar de existir um certo sentido nesse pensamento (do meu ponto de vista, a Miku provou que é possível ter uma idol que se apresentasse sem precisar de um corpo físico no palco) a verdade é que o conceito total e atual de VTuber foi criado a partir de Kizuna Ai, em 2016.

 

Kizuna Ai é uma idol, que começou a fazer streams de gameplay no YouTube em paralelo a uma carreira musical que logo ganhou bastante renome e espaço, influenciando o surgimento do movimento que agora já possui milhares de vtubers em todo o mundo.

 

Pausa - Falando de conceito

 

Ok, é esse o momento em que vocês já estão sem paciência para ouvir afinal uma definição concreta do que é uma VTuber, certo? Tá bem, agora que citamos a fundadora desse movimento, me sinto satisfeita para mandar o conceitão:

 

VTuber é um criador de conteúdo que utiliza um avatar digital, com nome, aparência e lore (história pessoal) fictícios para se apresentar em um ambiente online, usualmente através de livestream.

 

Existe um padrão mais comum de vtubers, que são as garotas que fazem streams jogando os mais diversos tipos de jogos e que, eventualmente, também cantam. Porém, para conceituar o que é um vtuber, é preciso englobar todos os aspectos dessa atividade que às vezes acabam passando batido.

 

Existem homens vtubers, existem vtubers que não são músicos, existem os que são praticamente só músicos. Existem os que estão na Twitch, os que estão no YouTube, ou em qualquer outra plataforma de stream. E, mesmo o stream, que é um dos alicerces do conceito, não é o único aspecto definidor desses produtores de conteúdo.

 

Neste texto não vamos em debates sobre as vantagens e desvantagens dos vtubers em relação aos outros tipos de produtores de conteúdo online. Nos basta focar no fato de que existem vantagens o suficiente para que empresas estejam crescendo e multiplicando seus "talentos" usando essa fórmula e alguma dessas figuras já se tornaram parte da cultura pop e da cultura de games.

 

Aliás, fica aqui a minha nota de que o Game Awards está tentando ignorar vtubers para sua premiação de produtores de conteúdo e isso pode tornar o prêmio simplesmente irrelevante nessa área se, na próxima premiação, pelo menos alguém tão popular quanto a Korone não aparecer entre os indicados.

 

Seguindo com a história

 

Com o sucesso de Kizuna Ai, em 2017 surgiram novas vtubers como Luna Kaguya e Tokino Sora, a dita fundadora da agência Hololive, que é a agência mais conhecia atualmente do grande público devido ao ramo internacional da marca (já vamos chegar nisso).

 


 

Até o fim de 2017 duas agências se lançaram no mercado de vtubers de maneira incisiva: Nijisanji, propriedade da Ichikara Inc (rebatizada posteriormente para o nome atual ANYCOLOR Inc.) e a Hololive, propriedade da Cover Corp.

 

Neste ponto da história vou ter que puxar nosso foco para o que sou capaz de falar melhor, que é o Hololive/Holostars. Não estou ignorando o fato de que Nijisanji ser também uma agência imensa, com muito mais talentos do que a Cover tem, mas não tenho conhecimento para falar a respeito e, bom, a ideia desse TED Talk é ajudar quem está perdido a entender um pouco sobre esse mundinho, certo?

 

Hololive e Holostars

 

Em 2017 e início de 2018 o Hololive começou de experimental. Depois de Tokino Sora, outras meninas fizeram suas estreias como membros do Hololive. Elas não necessariamente começaram como vtubers do Hololive, como no caso de Hoshimachi Suisei.

 

Além de bonita e cantar maravilhosamente bem, é um gênio do Tetris


A partir de então a Cover buscou recrutar talentos para lançar por geração. No Japão, até o momento deste texto, existem no total de, sem contar com a Geração Zero, seis gerações.

 

As imagens abaixo são retiradas da VTuber Wiki, e fica aqui a recomendação de que usem esta wikia para pegar informações básicas sobre as eventuais vtubers que vocês tenham curiosidade para conhecer. O Link da página sobre o Hololive/Holostars é este: https://virtualyoutuber.fandom.com/wiki/Hololive#hololive

 




 

Eventualmente surgiu também o Hololive China, que foi encerrado posteriormente, e o Hololive Indonésia, que tem uma popularidade bastante grande dentro e fora do Japão, muito devido ao fato de na Indonésia o inglês ser uma língua muito presente e de os talentos do HoloID em boa parte falarem japonês.

 



Ah, claro. Também tem os meninos. Não são fã de idols masculinos, então infelizmente não tenho muito o que dizer sobre eles além do fato de acreditar que são igualmente talentosos quanto as garotas. O único que tive algum contato foi por uma parceria com a Mori Calliope, do Holomyth (já vamos chegar nelas)

 



 

Hololive English - Holomyth

 

Em Setembro de 2020 a primeira geração de talentos Hololive como língua principal inglês estreou: Mori Calliope, a ceifadora(shinigami) e rapper; Takanashi Kiara, a fênix, heroína e empresária dona de uma rede de fastfood chamada KFP; Ninomae Ina'nis, uma discreta artista que possui/é possuída por entidades ancestrais que lhe conferem poderes sombrios misteriosos; Gawr Gura, garota-tubarão que tem mais de 9 mil anos de idade e é originária de Atlântida e; Amelia Watson, detetive e viajante do tempo que tem contato com milhares de outras versões suas em outras linhas-temporais.

 


 

A despeito das personas bastante criativas (essa é uma características que é mais ou menos acentuada dependendo da geração do Hololive) as cinco caíram no gosto do público por suas personalidades carismáticas e bastante distintas entre si. Calliope, sendo uma shinigami, aprendiz da própria Morte, e ao mesmo tempo sendo uma rapper incrivelmente talentosa, ganhou um destaque musical imenso, tendo até o momento, já acumulado múltiplas músicas no Top 1 das paradas musicais no Japão e também fora dele. Gura, a mais popular em termos absolutos (números de inscritos) gosta de jogos de ritmo, tem uma bela voz e adora músicas mais antigas como City Pop; Kiara, possivelmente é a que tem o público mais fiel e unido, seus "Empregados" da rede KFP, chamados também por ela carinhosamente de galinhas e protegidos como filhos; Amelia, talvez a integrante mais criativa em termos de mídia livestream entre elas, é uma jogadora nata de Apex Legends e outros jogos de tiro, além de ter um humor ímpar, e; Ina, a mais discreta de todas, é uma artista incrivelmente talentosa, que costuma fazer streams mais tranquilos e agradáveis, tem um tom de voz mais calmo e adora fazer trocadilhos, dos mais bem pensados aos mais bobos, é um mar de fofura.

 

Sim, eu entrei para o fandom de vtubers por causa dessas cinco, acho que isso fica bem claro né? Sou até membro do canal da Kiara, com muito orgulho (Tenchou merece o mundo o7).

 

Elas acabaram explodindo em popularidade e se tornando porta de entrada para muita gente neste universo. Com streams quase diários, evitando ao máximo colidirem horários, realizando frequentemente streams colaborativos entre si e experimentando sempre com novas formas de conteúdo, o sucesso do Holomyth já garantiu uma segunda geração English que está por vir, além de ter influenciado o mercado como um todo (o primeiro grupo do Nijisanji English estreou poucos dias atrás da data de publicação deste post).

 

E, como um todo, o Holomyth também ajudou a difundir ainda mais a vtubers dentro da cultura pop em um momento em que o consumo de stream estava já em alta devido às circunstâncias externa (que vocês sabem né).

 

Falando um pouco de números e dimensões desse 2D todo

 

Olhando de fora é difícil mensurar o tamanho desse mercado, então separei alguns poucos dados:

 

O canal principal da Kizuna Ai, maior VTuber até o momento, tem 2,95 milhões de inscritos no Youtube; O seu canal secundário, dedicado a jogos, tem 1,54 milhões de inscritos. A segunda VTuber em quantidade de inscritos é Gawr Gura, do Holomyth, até o momento com 2,68 milhões de inscritos no YouTube. Dentro do Holomyth sozinho, quase todas já bateram a marca de 1 milhão de inscritos em seus canais.

 

Estimasse que, apenas no YouTube, vtubers tenham somadas, por volta de 40 milhões de inscritos. Em termos financeiros, os valores de arrecadação de vtubers figuram entre os maiores de toda a plataforma do YouTube.

 

Fora todo esse mundo grandioso, ainda temos o mercado dos vtubers independentes ou de agências menores, tanto no Japão como falantes de inglês ao redor do mundo, que consegue manter uma fanbase relativamente grande mesmo se serem afiliados a grandes grupos. Entre essas deixo destaque para as poucas que conheci dentre tantas que existem, nesses meses de convivência com o assunto: Artemis of the Blue, Kani Kanizawa e Pikamee.

 

Artemis of the Blue

 
Kanizawa Kani

Pikamee

 

 

Conclusão - Mas e aí? Como eu começo nesse negócio?

 

Yep, eu sei. É muita coisa.

 

Tentei resumir de maneira mais simples o possível desse universo de pessoas e conteúdos e sei que ficou muita coisa de fora, mas foi para poder escrever só um artigo e não um livro sobre VTubers.

 

Se você tem interesse em colocar o dedinho nesse mundo e fica sem saber como começar, vou deixar meu HowTo para que você tenha uma boa experiência e não só acabe escorregando, caindo de cara e fugindo desse oceano de conteúdo:

 

  1. Veja alguns vídeos curtos sobre vtubers, os tais "clipes":

Escolhe o nome de uma das meninas do Holomyth e joga no YouTube, clipes muito engraçados, ou mesmo mais emocionais vão aparecer e daí você escolhe.

Eu comecei nisso, claro, por causa de um ship yuri dentro do Holomyth, então acho que essa é uma dica válida de se deixar aqui no Kono ai Setsu: Takamori. Só isso, pesquise e seja feliz.

 

Glória a Takamori! (https://twitter.com/CRUNCHY_MMLONI)

 

 

  1. A partir dos clipes, veja algum vtuber que você sinta que parece ser mais divertido de assistir e veja clipes sobre este vtuber: 

     

  2. Veja algum trecho de stream de algum tema que te interessa, pode ser um jogo, ou de arte, ou mesmo cantando.

     

Pronto, você agora é fã de uma VTuber! A partir daí os passos são mais opcionais e variados, dependem muito do tempo que você tem disponível para ter mais e mais contato com outros talentos. Você pode seguir assistindo clipes de outras vtubers e assim ir conhecendo elas mais, sem necessariamente precisa assistir seus streams e VODs (video on demand - a gravação que fica do stream no canal).

 

Outro fator muito importante é o fandom. E sabe que esse é um fator que surpreende positivamente? Pois é. Claro que tem sempre uns fãs desagradáveis, mas hololive, na minha experiência pessoal, é o fandom mais receptivo e agradável que já fiz parte até o momento. Pessoas do mundo inteiro se juntam para apreciar os streams, fazer memes, alguns para desenhar, outros para fazer clipes ou remixes de músicas, ou mesmo jogos!

 

O que tá esperando?

 

ENFIM....

 

Obrigade por terem vindo ao meu TED Talk. Caso queiram mais artigos sobre vtubers e outros tipos de idols, peçam nos comentários ou para as donas do site. Elas me obrigam a escrever pagando com pastel e refri e eu adoro pastel e refri.

 

PEACE! o7

segunda-feira, 17 de maio de 2021
Posted by PilotChiken

Yuricast #37 - Yagate Kimi ni Naru (Parte 1)

 Olá a todos!


Estamos de volta com o Yuricast para falar de um dos mangás yuri mais aclamados dos últimos anos e que agora está sendo lançado no Brasil: Yagate Kimi ni Naru, ou Bloom into You. 



Nesse podcast Mazaki e Sechan se dividem em opiniões sobre a obra enquanto comentam o enredo da primeira metade da obra, fazendo comparações ao anime e também mencionando a peça teatral que adaptou a história. 

Contamos a história até o capítulo 24 do mangá (início do volume 5).

[DOWNLOAD] Yuricast #37 - Yagate Kimi ni Naru (2:05:33 - 173MB)


Também disponível no Youtube!



Estamos no Spotify! https://open.spotify.com/show/4mIOPDjzmYNhgtuIBlBfEt




domingo, 9 de maio de 2021
Posted by LKMazaki

Assine o feed do Yuricast!

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Translate to your language:

Seguidores

Parceiros

Parceiros | Yuri

Kiyoteru Fansub
Gokigenyou
Moonlight Flowers
S2 Yuri
Yuri Licious
Yuri Private
Yuri Zone

Parceiros | Blogs e Sites

Anikenkai
Chuva de Nanquim
Elfen Lied Brasil
Gyabbo!
Jwave
MangaBa
MangaBa
Mithril
Mundo Mazaki
nbm² - Nobumami
Netoin!
Shoujismo
Você Sabia Anime?

Arquivo do Blog

Popular Post

- Copyright © | Kono - Ai - Setsu | - fonte para yuri, shoujo-ai e girls love desde 2007 -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -