Posted by : Se-chan terça-feira, 11 de setembro de 2007

Oi gente! o/
O meu fic já tem nome! *Também, eu jah to no penultimo dia XD*
O problema é que eu não sabia como colocar pra japones e queria deixar o titulo em japones ^^'''
Entaum pedi ajuda pra Milk XD
uhauhauhauhauh *folgada XD*
O nome é "Otome no Kokoro", uma adaptação para "O Coração de uma Donzela" hehe
E lá vai o fic! /o/

Dia 03 - Toda a Verdade

Konoka acordou na véspera de natal depois de uma noite quase que completamente em claro e preparou o café em silêncio. Não esperou Asuna para ir até Mahora, pegou um dos primeiros trens do dia.
Mas ao contrario do que devia, a curandeira não chegou nem perto de sua sala. Focou vagando por horas pelo campus, até que chegara a hora de ir para sua classe e encarar Setsuna.
Entrou na sala e passou pela carteira de Setsuna desviando o olhar. Ao chegar na sua carteira, Konoka tentou prestar atenção na aula, mas fracassou. Tudo o que conseguia era pensar no momento em que a espadachim a possuía, desfrutando de seu corpo, seus gemidos e ingenuidade.
Tentando espantar os pensamentos impuros e incorretos naquele momento, a maga pegou o livro de sua pasta e viu um papel cair de seu bolso. Quando abriu, reconheceu a letra da guarda-costas.

“Kono-chan
Encontre-me no telhado de Mahora no horário de almoço,
Irei te entregar seu presente de natal adiantado
E lhe contarei toda a verdade.

Sakurazaki Setsuna”

‘Se-chan... que verdade..?’ Konoka se preocupava em manter a consciência e não deixar-se levar pela esperança, mas era mais forte que ela. Sua Set-chan estava querendo dizer-lhe algo que poderia deixar tudo como antes.
Quando a hora chegara, a curandeira foi correndo para o telhado. ‘Set-chan... Eu te amo.. Você vai me dizer a verdade.. obrigada.. eu estava mesmo muito preocupada com você...’
A maga abriu a porta empolgada, mas perdeu completamente o sorriso ao ver o que acabara de presenciar. Descobriu ao mesmo tempo que Tsukuyomi veio para Mahora, que havia algo entre ela e Setsuna e que não era apenas um caso, pois vira a prova disso.
Setsuna estava beijando Tsukuyomi. Abraçada nela. Tsukuyomi estava com um anel nas mãos. Não era um anel comum, era de prata. Lágrimas começaram a sair dos olhos de Konoka. A espadachim que ela tanto amava finalmente saiu daquele maldito beijo com a mais nojenta das criaturas.
“Então essa era a verdade...” Tentava não gaguejar entre as palavras. “..Não quero nenhum presente.. Não tem nada nesse mundo que tire essa dor de mim..” E saiu correndo. Fugindo daquela cena, fugindo da verdade.
Será que quando fizera amor com ela, Set-chan teria pensado nessa criatura?? Tsukuyomi! Tsukuyomi! Isso é nome de demônio! E estava tomando o seu anjo para ela! Um dia ainda iria matar ela!!
Escutara de longe alguns gritos e estrondos, mas ignorou e foi até a Árvore do Mundo. ‘Por que vim aqui?? Só para me lembrar mais de ontem!?’ A maga tentava tirar as lágrimas dos olhos, mas falhou. Durante todo o almoço chorou, como nunca, mais do que no dia anterior.
Foi novamente para a sua sala, mas Setsuna não estava mais lá. Obvio, não queria encarar a maga de jeito nenhum. Não seria tão descarada!
Negi chegou, acompanhado de uma garota de cabelos claros e óculos. ‘Essa garota com cara de abobada de idiota não tem nada! Baka! Nojenta! Feia!’ Konoka começara a surtar de raiva, mas parou no instante que viu que a espadachim estava com ferimentos em diversas partes do corpo. No rosto, nos braços, tanto que o esquerdo mal se movimentava, no pé, e provavelmente em partes cobertas pela roupa.
Outra coisa que notara era que a espadachim não estava mais com o anel de antes. Será que Set-chan não tinha nada com ela? Mas o que fora aquilo? Aquela horrível visão que nunca mais queria repassar em sua cabeça, mas que vinha todo momento.
Num só pulo a maga se levantou e saiu correndo. Para onde estava correndo tão rápido? Para o quarto de Setsuna. Iria tirar a historia a limpo, todos os detalhes.
Agora estava em frente a porta de sua amada, respirou fundo e bateu na porta.
“Quem é?” Veio uma voz desanimada de dentro do quarto.
“Sou eu Set-chan..”
“Pode entrar..” Na mesma hora Konoka abriu a porta e viu a espadachim sentada na cama tapada com um cobertor. Chegando mais perto a garota viu que Setsuna estava cheia de machucados, como Tsukuyomi.
“O que aconteceu?”
“Um desentendido.. Um enorme desentendido.. Você entendeu tudo errado..” A guarda-costas olhava de modo triste para um canto qualquer do quarto.
“O que você quer dizer com isso..?” A maga sentava-se na ponta da cama olhando preocupadamente para Setsuna.
“Eu não tenho nada com Tsukuyomi.. Muito menos quero ter..” A espadachim encarou Konoka com seriedade.
“Você ia me entregar adiantado o presente, né?” Konoka tirou um embrulho da pasta e ofereceu-o para a garota. “Para você, Set-chan..” A maga começara a ter lágrimas em seus olhos. “..Eu sei que meus sentimentos não são correspondidos..” As lágrimas que iam caindo estavam sendo tiradas logo após por suas mãos. “.. Mas isso não muda em nada meus sentimentos por você.” Respirando fundo, a garota de cabelos castanhos pegou junto coragem para terminar o que começara de falar. “Eu te amo, Set-chan!”
A garota escutara seriamente, logo estava abrindo o presente e vendo que era uma caixinha de música. Abrindo a caixa e escutando a bela melodia, Setsuna abaixou a cabeça.
‘Set-chan não parece bem. Não no sentido físico, ela parece estar sofrendo muito.’ Konoka preocupava-se com a reação da garota e com o que estava realmente acontecendo.
“Oj-....” A espadachim tentava falar, mas nitidamente estava abalada. A maga tentava enxergar seu rosto, mas a garota a impedia abaixando o rosto ainda mais, deixando seus cabelos negros na frente. “N.. Não deveria se preocupar tanto comigo.. Eu não mereço esse presente, nem seu amor..” A guarda-costas segurava firme a caixa que continuava a tocar.
“Não é questão de merecer ou não.. Eu te amo.. ninguém é culpado ou digno de amar ou ser amado..” Konoka puxou o rosto da espadachim e se deparou com seu rosto cheio de lágrimas. A guarda-costas empurrou-a e saiu correndo para fora do quarto.
‘O que está acontecendo!? Por que Set-chan estava chorando? Por que eu tenho que ficar de protegida e não saber de nada!?’ A maga tentou alcançar a garota, mas não tinha tanta velocidade quanto a outra que tinha anos de treinamentos árduos.
Após algumas horas de caminhada sem rumo, Konoka foi surpreendida por Asuna, que estava com uma aparência preocupada.
“Konoka! Konoka!” A garota vinha gritando ao longe.
“O que foi Asuna?”
“Rápido! Você precisa falar com o diretor-geral!” A garota de cabelos laranja segurava firme Konoka pelos ombros.
“Por quê? Por que tanta pressa?” A maga se desesperava, há muito não via sua amiga com uma aparência tão séria.
“Por que Setsuna-san está querendo sair de Mahora e nunca mais te ver!”
O choque na curandeira foi instantâneo. ‘Set-chan... Nunca mais... Não! Não! Isso não pode acontecer!!’ Lágrimas saiam dos olhos de Konoka em seguida.
“Calma Konoka. Você ainda pode falar com o diretor-geral, tente convencê-lo de deixar Setsuna-san ficar em Mahora!”
“Mas por que meu avô?”
“Por que tudo começou por causa dele. Acabei de falar com Setsuna-san e ela me explicou tudo. Vá resolver com ele!” Não era preciso nem ordenar, a maga já fora correndo instantaneamente para a sala do diretor-geral mesmo sem saber o que ele fizera para Setsuna querer ir embora de Mahora e deixar de protegê-la.
Chegando lá, escutou a voz de Konoemon e de uma garota, era Tsukuyomi.
“... de presente para ela. Foi por pouco que Senpai não revelou tudo para Konoka Ojou-sama. Acabou correndo desesperada. Mas agora está tudo resolvido, uma vez que ela irá embora de Mahora.” Tsukuyomi falava com um tom de felicidade.
“Correto. Não que eu seja contra ela ser uma Meia-Uzoku, mas a linhagem dos Konoe deve continuar. Como a minha querida Konoka é a única herdeira, como que as Associações ficariam sem a continuação da família que comanda a incontáveis gerações? Posso nunca ser perdoado pela minha neta, mas ela irá entender que seu futuro é o de herdar esse poder das Associações.”
O idoso tomava fôlego ao mesmo tempo em que ia em direção a janela. “Setsuna-kun seria um pretendente perfeito se tivesse nascido homem, mas isso não adianta, ela já que não há como mudar isso.”
Konoka entrou em choque. ‘Meu avô... Como pôde.. Então aquilo tudo foi feito a força?’ A maga correra sem rumo. Já era tarde da noite quando a curandeira parou na mesma estação de trem em que tivera o seu primeiro beijo com Setsuna.
Havia esfriado, começara a sentir o frio dessa véspera de natal ao enxergar pequenos pontos brancos descendo do ar. A neve começara a cobrir lentamente o chão, as arvores e seu corpo parado na estação.
Relembrando o momento de seu beijo, a maga sentira as lágrimas saírem de seu rosto lentamente. Aos poucos tentava se acalmar e pensar onde mais Setsuna poderia estar.
“Set-chan.......” Sussurrou no começo de uma depressão repentina.
“O que foi...? Kono-chan...” A curandeira olhou para o lado e viu a garota de cabelos negros sentada no mesmo banco daquela manhã fria.

--------------------------------------------------------------

Conseguiu seguir o raciocínio? ^^''
Finalmente deu pra entender?? XD
Ou foi lerdo e eu vou ter que explicar melhor no proximo dia? *sim, o final foi a passagem do 3° pro 4° dia*
De qualquer modo eu vou explicar no proximo capítulo que deve sair antes do proximo de "Konoka's Betrothed"
gome ne pra quem tah esperando novamente... ^^''
e mais gome ne mesmo pra coitada da kaede que deletei o comentario dela e me esqueci de copiar pra postar aki hoje! --''' *baka*
Espero que tenham gostado!! ^^
To indu! o/

3 Responses so far.

  1. Blogima says:

    Foi o véio? Pq...p! Bem, vale td em fanfic, então td bomba ^^. Tá cd vez + empolgante!

    Tomara que a Setsuna parta o Yuuki e a Tsukuyomi em dois...Ei, quem é essa garota de "cabelos claros e óculos" que tava com o Negi? Não vai dizer que era a Tsu tb? T_O

  2. se-chan says:

    era XD
    naum deu pra entender? uhauahauhauh

  3. eu jah esparava por uma coisa dessas...a setsuna naum ia realmente descartar a konoka desse jeito (se tivesse eu ia ter q repensar o q conheco de seu estilo de contruir narrativas se-chan), mas fikei ansiosa pra saber como tudo isso vai terminar. Isso por que essa eh uma das poires hipoteses a se abordar: a familia da konoka reprovar o relacionamento das duas e tentar afasta-las. complicado, por isso (jah vou entregando o ouro) naum pretendo colocar essa situaçao no meu fic. Pra mim vale mais o velho proverbio chines: Voce eh seu pior inimigo (naum exatamente essas palavras).

    Ah! to devendo isso a uns caps naum? lah vai:
    Parabens pelo seu fic se-chan! devo dizer que estah evoluindo muito. no inicio naum imaginava q pudesse se desenvolver dessa maneira, estah fikando muito bom! continue c esse otimo trab!

    (ultima perguntinha: vc tah gostando do meu fic?)

    Teh mais!!!

Translate to your language:

Seguidores

Parceiros

Parceiros | Yuri

Kiyoteru Fansub
Gokigenyou
Moonlight Flowers
S2 Yuri
Yuri Licious
Yuri Private
Yuri Zone

Parceiros | Blogs e Sites

Anikenkai
Chuva de Nanquim
Elfen Lied Brasil
Gyabbo!
Jwave
MangaBa
Mithril
Mundo Mazaki
nbm² - Nobumami
Netoin!
Shoujismo
Você Sabia Anime?

Arquivo do Blog

Popular Post

- Copyright © | Kono - Ai - Setsu | - fonte para yuri, shoujo-ai e girls love desde 2007 -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -