Posted by : Se-chan terça-feira, 13 de novembro de 2007

Ae Gente!
Esse cap tah taum fofo! *.*
acreditam que ele eh o maior cap que eu jah escrevi de fic?
com soh 7 paginas XD
vamo logo pra ele! /o/

Capítulo 02 - Meu Doce Primeiro Amor

Setsuna abrira os olhos calmamente. Onde estava mesmo? Estava com calor, mas por quê?

A espadachim quase saiu correndo quando viu que não fora um sonho. Havia mesmo beijado sua Kono-chan. Havia mesmo dormido com sua Kono-chan! Aos poucos o coração foi se acalmando e a garota começar a pensar em um meio de tirar suas pernas de baixo do adorável rosto angelical de sua Kono-chan.

Olhou para a janela. Ainda era noite, aliviou-se por não precisar sair correndo para o seu treino matinal. Começara a olhar o suave sorriso inserido nos lábios de sua protegida. Tão bonita, tão meiga, por que desejou logo uma Meia-Uzoku como parceira, na magia e na vida. NA VIDA!? Estava louca? Já começara a se ver como dona de Kono-ch.. Ojou-sama?

Bem, estava próxima disso. Também, a maga parecia bastante a favor de se fazer de objeto da guarda-costas. Já pensara? Uma relação de amor nascido desde o berço, ou quase. “Que romântico!” é o que todos pensariam. Quer dizer, todos menos as Associações Mágicas, presumia a espadachim sentindo o forte poder mágico que estava a cada minuto a crescer dentro da curandeira. Mas por que diabos estaria o poder mágico de Kono-chan aumentando enquanto esta dorme!?

A espadachim olhara fixamente para a maga. Parecia feliz em algum sonho gostoso. Será que seria por causa do sonho e seu poder mágico estaria elevando-se, pois a garota ainda não tem domínio total sob este? Rira por dentro quando notou o surgimento de um enorme sorriso nos lábios de sua amada. Aproximou-se deles devagar e silenciosamente. Tocou-lhe no rosto de leve. Estava tão graciosa daquele jeito, parecia um anjo caído do céu.

“Kono-chan..” Setsuna encostou os lábios nos da curandeira.

“S-Set-chan... Não faça isso...” A guarda-costas atirou-se para trás, batendo com a nuca na parede e deixando Konoka cair no chão. A maga acordou meio zonza, mas olhando a guardiã em um estado de dor causado por uma tentativa de atravessar paredes correu em pró da sua querida.

“Você está bem Set-chan?” A garota perguntava enquanto socorria a outra tentando examinar sua cabeça.

“Não foi nada grave.. Estou bem..” Setsuna respondia com um sorriso meio sofrido mesmo assim. “Mas... Por que você disse ‘Não faça isso’?”

A curandeira fez uma cara estranha no momento após a pergunta. “Do que você está falando? Eu não disse isso, eu estava dormindo e quando vi você tinha se batido na parede...”

“Você deve ter falado enquanto dormia então..” A espadachim ria-se. Como fora boba, achava que Konoka não queria que a beijasse. Bem, mas será que ela quer mesmo que a beije? A duvida mortal de Setsuna, uma pessoa pode mudar da água para o vinho em algumas horas de sono. (Será?) Mas a pergunta seria: A mudança seria da água para o vinho ou o inverso?

“Eu tava sonhando com... Hmmm.. Ah! Você tava tentando fugir de mim..” Konoka fazia uma expressão triste, como se pensasse que sua querida e tão amada fosse realmente fugir a qualquer momento.

A dor no peito da guardiã veio no mesmo instante. ‘Esse rosto.. Nunca quero ver ele assim... Ainda mais por culpa minha!!’ Setsuna segurou os ombros da curandeira com força.

“Eu estou aqui Kono-chan. Não irei fugir!” A garota de cabelos chocolate era somente lágrimas após a forte declaração da outra. As lágrimas não eram de tristeza ou dor, mas sim de alivio. Não podia acreditar, Set-chan queria mesmo estar ao seu lado, não iria fugir.

Somente quando o sorriso surgiu nos lábios da maga é que a espadachim fora baixar a guarda e despreocupar-se.

“Set-chan... Eu também... Quero sempre estar com você..” O abraço em seguida fora apertado e o sentimento que Setsuna sentia vindo de sua protegida era como se esta quisesse gritar “Nunca me deixe! Nunca!”. A Meia-Uzoku acolheu sua parceira com um abraço amoroso, leve e caloroso.

“Nem pense nisso... Nunca irei te ferir desse jeito...” Setsuna segurava o queixo da curandeira, fazendo esta se dirigir até seus lábios. A união destes com de sua amada provocou um conforto inimaginável na maga. O calor dos lábios da espadachim fazia Konoka tremer de emoção, era amoroso, mas ao mesmo tempo conseguia se notar o quanto a guardiã estava se segurando para não passar da linha da sanidade.

Alguns sons foram ouvidos no meio da relação amorosa de Konoka e Setsuna. De tempo em tempo a espadachim tentava decifrar ou olhar para onde o som vinha, mas Konoka impedia a garota de concentrar-se. Queria sua Set-chan prestando atenção somente nela, queria que a garota começasse a fazer outros afazeres além de protegê-la.

A maga segurou uma das mãos de Setsuna e levou-a em direção de sua cintura. Queria ver o quanto a guarda-costas agüentaria até mostrar seu lado malicioso e com sede de... “amor”.

Pois bem, conseguira. Ao sentir a pele por detrás da blusa da maga, Setsuna não conseguira impedir-se de explorar levemente o corpo da curandeira. Há milímetros do busto da outra estavam suas mãos, ainda sendo controladas pela razão pouco existente agora na Meia-Uzoku.

Estavam muito próximas de Negi, Asuna e Kamo. Não deveriam fazer tais coisas, mas o fantasminha do fetiche estava possuído na curandeira. Desejava emoção, calor, a garota de cabelos chocolate era somente desejo no momento em que sua Set-chan explorava seu pescoço, demarcando seu cheiro Meio-Youkai na herdeira das Associações Mágicas.

Somente ao escutarem o despertador cair da cama e escutarem uma Asuna sonolenta tentando saber que barulho que era que ambas entenderam que era hora de parar. Setsuna insistiu até conseguir que a maga deita-se em sua cama, sozinha.

A guardiã sentou-se ao lado da cama, segurando a mão da curandeira perto do rosto, dera um beijo de boa noite na garota e as duas voltaram a dormir tranquilamente.

--------------------------

De manhã Konoka escutou uma voz doce a chamando. Só poderia ser sua Set-chan, somente ela conseguiria fazer esta acordar com tão bom humor. Confirmou-se quando esta abriu os olhos, sua Set-chan estava ali, sentada na beirada da cama com um leve sorriso angelical e com olhares cintilantes apenas para a garota. Será que ela realmente estava com aqueles brilhos nos olhos ou a mente apaixonada da maga que criara para aparentá-la ainda mais bonita a seu ver.

A herdeira das Associações Mágicas levantou-se, foi rapidamente ao banheiro e colocou o avental para ir até a cozinha, mas fora detida pela espadachim.

“Deixe por minha conta. Irei fazer o café da manhã, Kono-chan.” O sorriso permanente logo de manhã na face da normalmente séria guarda-costas a fez o mundo mais lindo naquele momento. Sua Set-chan estava tão carinhosa, tão leve, solta, linda. Maravilhosamente tudo parecia o paraíso dos recém casados para a curandeira. Recém casados!? Bem, só faltaria o pedido de casamento surgir, pois a maga já estava com o “sim” na ponta da língua.

“Não Set-chan, deixe comigo. Você sabe que eu gosto de cozinhar.” Um leve empurrão com o ombro fez a garota de cabelos negros sorrir mais, mas não desistir do que desejava fazer.

“Eu insisto, deixe-me fazê-lo.” Os olhos pedintes de Setsuna estavam quase convencendo a garota, mas antes de entregar-se teve uma idéia.

“Então por que não o fazemos juntas?” Um olhar curioso veio no rosto da espadachim.

“Como desejar, Kono-chan..” O sussurrar no ouvido de Konoka fez esta quase cair ao chão, mas antes de que pudesse faze-lo fora puxada pela sua amada pelas mãos.

Realmente, fora uma experiência curiosa e prazerosa. Novos gostos foram sentidos na cozinha, mas, para o azar dos leitores famintos por coisas diferentes de gostos culinários, eram apenas temperos e misturas que fizeram juntas.

Os risos, gargalhadas e beijos discretos acordaram os outros moradores do quarto. Asuna foi tomar nota do que estava acontecendo e deu-se com uma espadachim de cabelos negros tocando suavemente o queixo de uma maga com olhos abobalhados dirigidos a amada. A garota retirou-se sem ser percebida e dirigiu-se ao banheiro.

Após um café da manhã sem nenhum comentário sobre a noite passada (Apesar da grande curiosidade vinda principalmente de Kamo), todos se dirigiram para Mahora calmamente.

----------------------------

Após uma aula monótona e pouco estimulante de inglês, Asuna dirigiu-se diretamente a sua amiga espadachim para um convite inusitado. “Setsuna-san, venha almoçar comigo.” Após alguns segundos analisando a proposta, quase obrigatória a resposta “sim”, Setsuna aceitou com cautela.

Chegando ao destino final, um canto qualquer que não houvesse ninguém escondido para depois sair fofocando as intimidades alheias, Asuna tomou o posto de amiga severa e preocupada com o futuro de sua amiga e fechou seu sorriso de antes, encarando de modo pouco amigável para a espadachim.

“O que você quer com a Konoka?” Direta ao ponto, a guerreira quase fez sua mestra no kendô deixar cair o queixo até o chão.

“P-Por que a pergunta Asuna-san?” Perguntava completamente corada a espadachim.

“Por que eu vi a ceninha romântica entre vocês duas hoje mais cedo.”

Setsuna quase se matou pelo que escutara. Asuna havia visto sua quase relação sexual durante a madrugada. Não acreditara. Que descuidada que fora! Se bem que qualquer um naquele momento seria ao estar fazendo algo tão prazeroso com alguém tão gos... bonita quanto sua Kono-chan.

“Você viu?”

“Claro! Estava escancarado! Não sou surda pra não me acordar com todo o barulho que fizeram!” A Shinmei sentou-se num banco qualquer. Estava pasma. Asuna tinha as visto e teria que pedir-lhe mil perdões pelo erro que cometera.

“Desculpe por ver algo tão... insolente...” O olhar da espadachim era lamentável. Havia perdido uma batalha. Pior ainda, havia perdido uma guerra de anos contra seus instintos e fora pega no exato momento que estava em nocaute.

“Nem foi pra tanto Setsuna-san.. Foi só um beijinho na cozinha..” A garota de cabelos laranja ria-se enquanto a espadachim tinha suas pernas frouxas pelo alivio que lhe viera no momento. Não havia sido pega numa situação constrangedora no final. “Mas isso não muda minha preocupação. Konoka pode não parecer, mas se entrega muito fácil. Se você for fugir quando ela falar em oficializar namoro eu saio atrás de você, te trago de volta e desço o braço em você garota!”

A espadachim parou por um momento. ‘Kono-chan..Eu.. Namoro.. Oficial..’ As palavras fluíam na mente da garota de cabelos negros, mas não eram devidamente processadas. Kono-chan realmente queria algo com ela? REALMENTE!? Que felicidade que subia na garota, afinal, o que é melhor que ter certeza de que se é amado de volta? Bem, seria melhor se esta pessoa não fosse a futura mais importante pessoa no gênero de magia oriental e você uma reles Meia-Uzoku.

“Bem...” A guerreira ria da forma corada de Setsuna com bastante prazer.

“É verdade... Você é apaixonada por ela há tanto tempo quanto ela é por você..” A espadachim quase caiu no chão. ‘Kono-chan também é apaixonada por mim desde nossa infância!?’ O corado não era apenas um grande vermelho, mas um vermelho mais forte que o de seu uniforme escolar.

“Desde quando.. você sabe ..que ela é..?” Dizia timidamente a Shinmei enquanto abaixava a cabeça, falando em tom baixo.

“Bem.. EU sei desde uns meses atrás.. Um pouco depois da viajem pra Kyoto sabe.. Mas ela se tocou que é toda gamada por você desde uma vez lá que vocês tavam brincando e ela disse que as bocas de vocês quase se tocaram.. ou coisa parecida...”

Velhas lembranças vinham na mente da Meio-Demônio. Esta época tão especial voltou a tona nos pensamentos da garota. A guerreira continuava a falar, mas não era mais tão ouvida pela outra. Esta agora tinha sua mente voltada para o tão gostoso passado que tivera ao lado de sua querida antiga amiga e presente .. hmm... “ficante”(!?).

------------------------

“Ojou-sama, a mestra do Shinmei ryuu está aqui.“ Konoka olhou para o grande portão de onde vinha a voz de alguma empregada de sua família. Quando um homem e duas mulheres adultas chegaram mais perto, a pequena garotinha pode ver uma pequena criatura vestindo um quimono de kendô, timidamente escondida e segurando na parte de baixo do quimono da que provavelmente era sua mãe.

A troca de olhares das pequenas foi penetrante e durou muito tempo. A mãe de Setsuna já havia saído de perto e as duas continuaram a olhar-se com um pouco de medo, mas ao mesmo tempo de modo curioso, afinal, nenhuma tinha amigas da mesma idade. Mesmo que por motivos diferentes, Setsuna e Konoka não tinham ninguém para brincar, para conversar, nem para ao menos ter esta troca de olhares.

Finalmente tiveram a experiência da troca de olhares, do primeiro encontro marcante de uma vida que ainda teriam muitos importantes, mas que não quer dizer que este seja menos importante do que os futuros, muito pelo contrário, esta troca fora imprescindível para o futuro das duas jovens.

Ambas olhavam curiosas, eram duas garotas de mesma idade, mas por algum motivo ambas ficaram olhando curiosamente para suas diferenças. Setsuna era uma jovem pré-espadachim de um dos mais importantes estilos de kendô, tinha que treinar severamente e já começara a ter seus treinos e marcas no corpo, mesmo que leves. Konoka era uma pequena lady da vizinhança nobre de Kyoto, não tinha que se preocupar com nada, tinha corpo liso, sem arranhão, imagine só se teria uma marca sequer.

O encontro da Princesa com o Monstro, como diria Setsuna. Ou o encontro da menina mimada comum com um Anjo, como poderíamos presumir da herdeira das Associações Mágicas japonesas. Não importa o que fosse, era o encontro mais importante da vida das duas garotas.

Após minutos, talvez horas de olhares, Konoka aproximou-se mais da pré-espadachim e sorriu deixando sua cabeça balançar levemente para o lado, fazendo seus pequenos cabelos chocolate caírem em seu rosto, mostrando a outra toda sua graciosidade.

A verdadeira mini-Setsuna corou de leve, notando as pequenas pétalas de sakura caindo sobre o cabelo da futura herdeira das Associações Mágicas. Setsuna não conseguia compreender o que era aquela beleza que via na garota, ela era bonita, calma, mostrava suavidade ao falar e andar, era obviamente uma futura dama, diferente das mulheres que via no Shinmei, cheias de força e agressividade, sem preocupar-se com a aparência.

Setsuna foi aproximando-se aos poucos, olhando a leve feminilidade vinda da outra. Chegando perto o bastante para tocá-la, foi em direção ao rosto da outra e tirou uma pétala de sua bochecha. A futura maga corou levemente, dando um sorriso com a cabeça inclinando para o lado onde a mão ainda a tocava.

A pele da garotinha era macia como seda, nunca tinha tocado em alguém assim. Ela realmente era diferente dos outros, passava uma sensação calorosa e cheia de felicidade.

O que poderia ser aquele sentimento agora conhecido pela pequena Setsuna? Amor, “apenas” amor. Pela primeira vez Setsuna sentiu o calor no peito que queremos tanto ter. Finalmente tinha se apaixonado por alguém, mesmo que ainda não saiba.

“Konoka Ojou-sama, esta é Sakurazaki Setsuna e irá permanecer em sua casa por um certo período de tempo.” Disse uma de suas empregadas após alguns minutos de permanente silêncio no mundo, pelo menos para as duas meninas.

Após isso Setsuna curvou-se de leve e retirou-se para pegar suas coisas. Ainda não haviam dito palavras, mas a comunicação entre as garotas já estava feita, já se conheciam, haviam percebido como a outra era. Não precisavam de palavras, apenas olhar uma nos olhos da outra para sentir o desejo de certa comunicação e entenderiam o que ia ser dito.

Dia após dia as garotas começaram a brincar no tempo de descanso dos treinos da pré-espadachim. Konoka adorava levar a atual primeira amiga para ir para os campos de flores. Era lindo, Setsuna tinha vontade de levantar, literalmente, a vôo pelos campos carregando Kono-chan para ver como é bom voar e como era linda a vista de cima daqueles montes gigantescos de flores.

Sim, já se chamavam pelos apelidos. Fora idéia da futura maga, para chamarem-se com mais facilidade e para distinguirem-se dos outros na forma de chamar uma pela outra. Claro, queriam ter uma forma de tratamento diferente dos demais, esse era o verdadeiro por que. Queriam poder chamar-se do que quisessem, de amigas, de apaixonadas, de namoradas, Kono-chan e Set-chan são apenas as formas de falar todas essas palavras juntas.

Subitamente Konoka segurou a mão da outra e começou a correr puxando ela. A pré-espadachim adorava correr ao lado dela pelos campos, era tão lindo, as flores combinavam com o jeito carinhoso de Kono-chan. Ahhh, Kono-chan, como era bom falar isso naquela época. Na verdade, Setsuna sempre desejou voltar a chamá-la assim, e provavelmente voltaria a chamar agora que estavam tão... Intimas.

A herdeira das Associações Mágicas tropeçou. Bem que Setsuna tentou cair por baixo da menina para que esta não se machucasse, mas ambas caíram, uma do lado da outra, tendo apenas as flores em volta.

A Meia-Uzoku olhara imediatamente para a garota, levantando seu corpo levemente com o braço apoiado ao chão. A garotinha havia misturado-se as flores e estas a cobriram com suas pétalas e seu perfume. Estava graciosa, ria-se por ter-se caído tão desastrosamente.

Setsuna aproximou-se da outra, tentando enxergar seu rosto, pois este estava tapado pela franja. Quando a tirou da frente, vira algo que parecia mais uma miragem. Era belo demais para ser real. O rosto da futura maga cercado das flores, com seus cabelos misturados as pétalas poderia somente ser obra divina, algo fora da realidade comum.

Sem perceber o momento de reflexão da outra, Konoka puxou a garota para uma divertida rotação sobre as flores. Uma ia segurando-se mais firme na outra, como se quisessem não mais afastar-se, como se fossem ser afastadas a qualquer momento.

Ao pararem, virão o quão próximos seus rostos estavam. Quase colados, uma como se estivesse presa a outra, era tudo o que mais queriam. Sentir a outra, ter a outra como sua, mas como realmente ter certeza de que a outra era sua se eram tão novas.

Outra vez a troca de olhares pode dizer tudo o que elas desejavam. Mais uma vez aquela sensação calorosa. Mas desta vez estava mais claro. Queriam uma a outra não como amigas. Mas como saber isso? Ora, do jeito mais simples de se saber. A vontade de abraçar, de dizer qualquer bobagem apenas para ouvir a voz da outra, ou ainda melhor, para ver seu sorriso. A vontade que todos conhecemos e adoramos. O calor do amor, não do amor carnal, mas o puro amor adquirido cedo, sem beijos nem declarações, aquele que com apenas o conhecimento de seus próprios sentimentos já era o bastante para a felicidade própria.

O momento infelizmente fora interrompido por alguma Shinmei chamando Setsuna para o treino, mas nunca fora esquecido nos corações das jovens, agora, apaixonadas.


--------------------------

Depois de um lapso de memórias inocentes e adoráveis, Setsuna e Asuna dirigiram-se para a aula e, após ela, elas e os demais moradores foram para o quarto da guerreira.

A espadachim estava sem jeito, tímida, corada, apenas pelas doces lembranças com sua Kono-chan. A outra estava sorridente como de costume, mas percebera o estranho estado da outra, apesar de corada e tímida ser bem comum para ela.

Chegando ao quarto, todos falavam normalmente, pouco a pouco a maga foi aconchegando-se ao lado de sua amada, planejando chegar perto o bastante de sua orelha para apenas sussurar "Vamos para o telhado?".

O arrepio fora instantâneo. A guarda-costas aceitara timidamente e, quando os outros estavam distraídos, as duas garotas fugiram do local o mais rápido possível.

-------------------------------

Oq acharam?
AMEI colocar a troca de olhares pra quando elas saum crianças..
dexo de um jeito tão puro e romantico!! *.*
esse clima romantico irá continuar no proximo cap!!! >D
A unica coisa que naum gostei de colocar foi o "ficante" lah no meio.. ¬¬
Odeio essa expressão xD
Mas tem tanta variação disso neh?
-Fikante que dexa livre pra fika com outros
-Fikante que parece mais namorado pq prende XD
-Namorado que naum prende ou trai
-Namorado que prende - Salve salve os ciumentos, saum os unicos que eu entendo nesse meio tão estranho XD *Talvez pq eu seja meio ciumenta ^^'''*
Entaum .. Até o Lives semana que vem!
Devo começar a postar as quartas o Partners pra naum fika taum colcado no inicio da semana ^^
Até lá o/

4 Responses so far.

  1. Gabi-chan says:

    Muito bom Se-chan ^^

    Kero mais Partnes viu =D

    Vc, a Mazaki, a Milk e varios otros escritores tao fazendo de Kono-Setsu uma historia mais fantastica ^^

    Parabens e continue assim

  2. Kaede says:

    Ta cada vez melhor os seus fanfics!

Translate to your language:

Seguidores

Parceiros

Parceiros | Yuri

Kiyoteru Fansub
Gokigenyou
Moonlight Flowers
S2 Yuri
Yuri Licious
Yuri Private
Yuri Zone

Parceiros | Blogs e Sites

Anikenkai
Chuva de Nanquim
Elfen Lied Brasil
Gyabbo!
Jwave
MangaBa
Mithril
Mundo Mazaki
nbm² - Nobumami
Netoin!
Shoujismo
Você Sabia Anime?

Arquivo do Blog

Popular Post

- Copyright © | Kono - Ai - Setsu | - fonte para yuri, shoujo-ai e girls love desde 2007 -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -